Bispo pede um Syllabus sobre o Concílio Vaticano Segundo

AthanasiusSchneider

Em 17 de dezembro de 2010, durante um colóquio em Roma, organizado pelos Frades Franciscanos da Imaculada sobre o tema “Vaticano II, um concílio pastoral – análise histórica, filosófica e teológica”, o Bispo Athanasius Schneider, Bispo auxiliar de Karaganda (Cazaquistão), pediu a elaboração de um Syllabus que condene infalivelmente “os erros de interpretação do Concílio Vaticano II”. A razão, ele explicou, é que só o Magistério supremo da Igreja, o de um papa ou de um novo Concílio Ecumênico, pode corrigir os abusos e erros que resultaram do Concílio Vaticano II, ajustar a nossa compreensão e aplicá-lo à luz da tradição católica. Declarando que seria quase impossível convocar um novo concílio antes de mais 500 anos…, ele considera que se deve apelar ao magistério supremo do papa. Daí este pedido de um novo Syllabus que justaponha os erros condenados e sua interpretação ortodoxa.

Outros oradores durante este colóquio foram Dom Brunero Gherardini, autor do livro “O Concílio Ecumênico Vaticano II: uma discussão muito necessária” (2009), e o Professor Roberto de Mattei, um historiador italiano e autor de um volume recente sobre o Concílio intitulado “O Segundo Concílio do Vaticano: Uma história não escrita” (atualmente disponível em italiano pela editora Lindau). Ambos os palestrantes responderam às críticas que os seus livros têm provocado, especialmente em alguns círculos conservadores conciliares determinados a defender a infalibilidade do Concílio.

Retirado e traduzido de Dici.org