O Encontro de Assis visto a partir de Meca

capa-assis-meca

Por que será que é impossível planejar um encontro inter-religioso no estilo de Assis em Meca? Para responder a esta pergunta é útil fazermos outras três perguntas preliminares:

– Por que não se pode construir uma igreja na Arábia Saudita? Porque esse país aplica a lei islâmica de forma estrita;

– Por que é possível construir uma mesquita em qualquer lugar no Ocidente? Porque esses países estão dominados pela mentalidade secularista resultante do Iluminismo;

– Por que a Igreja Católica é a organizadora do encontro de Assis? Porque, ao contrário do Islã, ela se abriu às ideias do Iluminismo, durante o Concílio Vaticano II, e desde então ela tem promovido a liberdade religiosa, o ecumenismo e o diálogo inter-religioso.

E assim, para que seja possível algum dia planejar um encontro inter-religioso no estilo de Assis em Meca, teria de haver um “Islã iluminista”, que tenha “tido seu próprio Vaticano II”. Não há nenhum sinal anunciando disso em qualquer país muçulmano, mas somente na boca de alguns intelectuais altamente  europeizados que estão mais comprometidos com a mídia do que com o Islã.

É por isso que durante os últimos 25 anos, o encontro de Assis continuou sendo um convite unilateral, sem qualquer esperança de reciprocidade. Uma rua de mão única levando a um beco sem saída.

Pe. Alain Lorans

Retirado e traduzido de dici.org